Blog




O Cigarro e os Olhos.

postado em 22 de set de 2017 07:03 por 2f - Digital

Um dos melhores investimentos que podemos fazer para nossa saúde é largar ou, melhor ainda, evitar de fumar. E os nossos olhos agradecem. Afinal são mais de 4000 toxinas presentes no cigarro que agem no olho por mecanismos isquêmicos e oxidativos.


Os malefícios do cigarro para o olho já são conhecidos há muito tempo. E quanto mais se fuma, maior a chance de desenvolver catarata, degeneração macular relacionada a idade e glaucoma, doenças essas hoje consideradas as maiores causas de cegueira no mundo.

Mas não para por aí: a fumaça do cigarro é um irritante que piora os sintomas de olho seco não só para para o fumante ativo mas para o passivo também. Isso causa sintomas que vão desde uma leve irritação dos olhos até lacrimejamento excessivo, queimação, prurido, entre outros.

Existem ainda vários indícios que o cigarro pode agravar a Oftalmopatia de Graves, que é uma doença dos olhos relacionada ao hipertireoidismo no qual um ou os dois olhos se projetam anteriormente nas órbitas.

Até as crianças podem ser afetadas pelo cigarro, principalmente pela exposição delas em ambientes onde se fuma (dentro de casa ou do carro, por exemplo). Além do risco de desenvolver a conjuntivite alérgica, as crianças filhas de mães fumantes tem risco maior de desenvolver estrabismo.

Vamos cuidar dos nossos olhos ?

Cuidados especiais com a visão!

postado em 22 de set de 2017 06:43 por 2f - Digital

A primavera chegou e trouxe com ela toda sua cor, com flores que dão vida e alegria a todos os lugares. Mas a estação mais bonita do ano também traz consigo a necessidade de alguns cuidados extras com a saúde dos olhos.



Por conta da liberação do pólen das árvores e plantas, a estação propicia o aparecimento de alergias oculares, principalmente em pessoas que já têm histórico de asma, rinite e dermatites. Mas com alguns cuidados é possível evitar prejuízos à visão, para que você possa aproveitar a primavera por completo. Confiras quais são eles:

Mantenha as mãos limpas
Essa é uma das principais dicas sempre que se fala sobre a saúde dos olhos. Isso porque, sem percebermos, acabamos coçando os olhos várias vezes por dia, e é aí que mora o perigo caso estejam contaminadas. Por isso, mantenha suas mãos sempre higienizadas (se possível, com álcool em gel).

Evite outros alérgenos
Além de pólen, fumaça e poluição, alguns cosméticos e produtos químicos também contribuem para o surgimento das alergias oculares. Neste caso, o ideal é evitar contato com essas substâncias.

Mantenha a casa limpa adequadamente
Na hora de limpar a casa, alguns cuidados são fundamentais para evitar as alergias, principalmente na primavera. Para isso, mantenha os ambientes arejados por pelo menos algumas horas do dia e evite usar vassouras na hora da limpeza. O recomendado é optar pelo pano molhado, que irá tirar a sujeita sem levantá-la.

Lave os cílios
Para ajudar a eliminar partículas que possam chegar a ter contato com os olhos ao longo do dia, o ideal é lavar os cílios com água, ou até xampu neutro e hipoalergênico. Isso reduz os riscos de irritação nos olhos.

Use óculos de sol
Quando estiver em ambientes abertos, não se esqueça dos óculos escuros com proteção UV adequada. Além de lhe protegerem do pólen e de partículas de poeira que possam cair nos olhos, eles ainda ajudam a prevenir diversas doenças oculares, como a catarata.

Gostou das dicas? Agora basta seguir todas elas e aproveitar os belos dias de primavera por completo. E lembre-se: além desses cuidados, é muito importante visitar um oftalmologista regularmente. 


Tendinite (Bursite)

postado em 14 de set de 2017 12:47 por 2f - Digital


  • Tendinite e bursite são a inflamação ou degeneração (repartição) do tecido mole ao redor dos músculos e ossos.
  • O tratamento imediato inclui RICE: Repouso (Rest), Gelo (Ice), Compressão (Compression) e Elevação (Elevation).
  • Os sinais de perigo incluem rápida piora da dor, vermelhidão e inchaço, ou súbita incapacidade para mover uma articulação.

Os tendões são estruturas semelhantes a um cordão, localizados onde um músculo se estreita para se fixar a um osso. O tendão é mais fibroso e denso do que o elástico, carnudo músculo. Um tendão transmite a tração do músculo ao osso para causar o movimento. A tendinite é frequentemente muito sensível ao toque.


Tendinite ou bursite, muitas vezes afeta o ombro, cotovelo, pulso, quadril, joelho e tornozelo. A dor faz com que possa ser bastante grave e muitas vezes ocorre de repente. Como na artrite, a dor é pior durante o movimento. Ao contrário da artrite, a dor é muitas vezes em partes do corpo distantes de uma articulação. A tendinite, muitas vezes, resulta do uso repetitivo (uso excessivo). Embora o problema possa ser recorrente ou ser crônico (longo prazo) em algumas pessoas, é mais frequentemente por curto prazo, principalmente se tratado precocemente.


Bursite é a inflamação da bursa. Este pequeno saco atua como um amortecedor entre estruturas móveis (ossos, músculos, tendões ou pele). Se um músculo ou tendão está puxando um canto de um osso, ou está sobre um osso, uma bursa saudável o protege contra o desgaste e estresse. Quando a bursa está inflamada, torna-se muito doloroso, mesmo durante o repouso.

Tratamento de Vasinhos

postado em 10 de set de 2017 16:23 por 2f - Digital

Para tratar do problema, os vasos periféricos aparentes no tronco ou membros inferiores respondem muito bem a Luz Intensa Pulsada, ao Laser Nd:YAG ou ao Laser de Diodo. Nesses locais, nota-se melhora evidente, com redução significativa dos vasos desde a primeira sessão.


O Laser atravessa a pele e aquece os vasos sanguíneos. Com consequência, eles irão se contrair e o organismo irá se encarregar de reabsorvê-los. Uma vez que uma veia é tratada, dificilmente ela voltará a aparecer.

Em geral, para o tratamento de qualquer dos segmentos corporais acima, o número de sessões necessárias varia de 3 a 6, com intervalos entre elas de 30 dias.

Cuidados antes do tratamento de vasinhos

Antes de tratar os vasinhos, é preciso se preparar para as sessões tomando alguns cuidados. Você precisará evitar tomar sol na região 30 dias antes e depois do tratamento. Sua pele precisa estar livre de cremes no momento da aplicação do laser. E no caso da região tratada ser as pernas, recomenda-se evitar a depilação por volta de 30 dias também.

Como manter os resultados?

Após o tratamento de vasinhos, dificilmente você verá os vasinhos voltando, mas é preciso se prevenir contra o surgimento em outras regiões. Dietas equilibradas, práticas de exercícios físicos e visitar o médico regularmente são necessários, principalmente se a causa dos vasinhos forem hereditárias. Porém, é possível que haja necessidade de fazer o tratamento uma vez por ano.

Como Funciona o Exame de Mamografia?

postado em 10 de set de 2017 15:06 por 2f - Digital

Entenda como funciona um dos exames mais importantes para a saúde feminina: o exame de mamografia. Atualmente, estima-se que cerca de 12 mil mulheres morram todos os anos no Brasil em decorrência de doenças relacionadas às mamas, número que representa 2,5% das mortes femininas no país. A falta de informação, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), ainda é a principal causa dessa triste estatística.


A mamografia é um exame de imagem, similar a um Raio-X. Aliás, para simplificar o entendimento, podemos considera-lo como um Raio-X das mamas. Já há um longo tempo esse exame é considerado fundamental para diagnosticar se há o não algum tipo de anomalia que possa indicar câncer, seja em estado inicial ou avançado.

O exame é completamente indolor e hoje pode ser feito por imagem digital. Dessa forma, quando os Raios-X atravessam a mama eles atingem uma espécie de detector, que transmite esses sinais para o computador. No método tradicional, que a cada dia diminui o uso, as imagens eram gravadas em um filme.

Há muitas vantagens relacionadas à digitalização das imagens na mamografia. Além da maior qualidade das capturas, pois estamos falando de imagens em alta definição, há também a possibilidade de transmissão imediata das imagens para uma central de radiologia, onde podem ser realizados os laudos a distância.


Conheça 7 exames ginecológicos para colocar na agenda!

postado em 6 de set de 2017 09:57 por 2f - Digital

Os exames ginecológicos devem ser realizados com regularidade. Normalmente, recomenda-se que o ginecologista seja consultado uma vez por ano, especialmente depois da primeira menstruação.


Muitas das enfermidades e condições associadas à ginecologia são mais frequentes em certos períodos de vida da mulher. Por isso, alguns exames ginecológicos são mais indicados em determinadas idades.

Exames ginecológicos para marcar na agenda

Mamografia

 
Um dos mais importantes e conhecidos exames ginecológicos, a mamografia serve para detectar um possível câncer de mama e microcalcificações, que eventualmente podem evoluir para tumor maligno. Deve ser feita a partir dos 35 anos de idade da mulher, repetida anualmente a partir dos 40. É importante saber que 10% dos tumores malignos de mama tem relação com herança familiar. Portanto, caso você tenha mãe, irmã ou tia com esses antecedentes, a atenção deve ser maior.
 
Papanicolau
 
O exame de Papanicolau detecta infecções e lesões pré-malignas no colo do útero – esse tipo de tumor está frequentemente associado à infecção pelo HPV. Deve ser feito anualmente a partir do início da vida sexual da mulherEm gestantes, deve ser feito durante o pré-natal. Alguns fatores de risco são o tabagismo, baixa ingestão de vitaminas, iniciação sexual precoce e uso de contraceptivos orais.
 
Ultrassom
 
O exame de ultrassom averigua a ocorrência de câncer de mama, anomalias do útero,, pedra na vesícula e apendicite. Em gestantes, acompanha o desenvolvimento do feto. Existe também o ultrassom transvaginal, que complementa o exame clínico ginecológico. Esses exames podem ser feitos em vários períodos da vida da mulher, então pode ser solicitado pelo ginecologista sempre que ele achar conveniente.
 
Colposcopia
 
Investiga possíveis lesões no colo do útero, na vagina e na vulva. Costuma ser indicado somente nos casos de Papanicolau alterado ou para complementá-lo, no sentido de melhorar a performance e garantir um diagnóstico mais preciso.
 
Hormônios
 
O exame de hormônios visa a detectar problemas no hipotálamos e nas glândulas hipófise, tireoide e ovários. Ele pode auxiliar na investigação de causas de infertilidade, sangramentos genitais ou alterações do ciclo menstrual, queda de cabelo, secreção mamária, menopausa, acne, alteração de pele e unhas, etc. Portanto, é recomendado quando a mulher tem uma dessascondições.
 
Hemograma completo
 
O hemograma completo deve ser feito todo ano, como rotina, ou quando o médico suspeitar de ocorrência de anemia, infecções, processos inflamatórios, problemas de coagulação e leucemia. Muitas vezes, detectar a anemia pode ser difícil, pois ela pode estar oculta. Aí se dá a importância do hemograma como exame de rotina.
 
Urocultura
 
Por fim, o exame de urocultura deve ser feito quando o médico suspeitar de doenças como cistite ou infecção urinária, muito comuns entre mulheres. Os seus sintomas são ardência ao urinar e aumento na frequência das micções, com diminuição do volume urinado, e dores abdominais.

Gostou do texto ? Deixe seu comentário!

A importância do acompanhamento médico durante a gravidez

postado em 28 de ago de 2017 19:33 por 2f - Digital

Se você está lendo esta postagem, temos duas coisas para lhe dizer. A primeira delas é: parabéns! Pois estar aqui significa que ou você está esperando um bebê ou, provavelmente, está pensando em ter um.


A segunda é: independentemente de qual for o seu caso, gravidez exige cuidado. E este é o assunto do post de hoje.

acompanhamento médico durante a gestação chama-se prénatal e envolve uma série de exames e orientações para que tanto a mãe como o bebê mantenham suas saúdes intactas durante todo o processo. É recomendado que o acompanhamento tenha início logo que a gravidez for confirmada ou antes de completar três meses. Desta forma, complicações e males são evitados.

Exames sanguíneos, glicêmicos, ultrassonografias e de prevenção de diversas doenças fazem parte do pré-natal, que é parte imprescindível de toda a gravidez. Isso porque, nele, você não só cuida de si mesma, mas do seu bebê. Afinal, tudo o que você ingere, come, ou faz, influencia, agora, não só uma pessoa, mas duas. Daí a importância das orientações corretas acerca de alimentaçãosaúdebemestar, etc.

Com o acompanhamento adequado, sua consciência fica mais leve, pois você sabe o que pode e não pode fazer. Pois, convenhamos, a ação hormonal, o estresse e a ansiedadeque a gravidez pode causar não são coisas simples de lidar. E elas já são preocupação suficiente para as futuras mamães. Portanto, lembre-se de como é essencial o pré-natal para que tudo corra bem e de forma tranquila. Seu bebê agradece!

Quais são as ultrassonografias realizadas durante o pré-natal?

postado em 28 de ago de 2017 18:54 por 2f - Digital

Em geral são solicitados quatro ultrassonografias ao longo da gestação, podendo ser obstétrica ou morfológica, dependendo da idade gestacional.

O primeiro ultrassom

O primeiro ultrassom é solicitado logo na primeira consulta. Ele é feito via transvaginal, preferencialmente entre a 7ª e a 8ª semana da gestação, quando já é possível visualizar o saco gestacional e os batimentos cardíacos do embrião.

Seus principais objetivos são confirmar a gravidez, saber se é uma gravidez única ou múltipla(com dois ou mais fetos) e se a gravidez é tópica (o embrião cresce dentro do útero) ou ectópica (o saco gestacional está fora do útero, nas trompas). Nesse segundo caso, geralmente é necessária uma intervenção cirúrgica.

O primeiro ultrassom também é utilizado para precisar o tempo de gravidez e compará-lo à data da última menstruação informada pela mulher. Esses dados são importantes para determinar a data prevista para o parto — definida ao fim de 40 semanas, embora a gestação possa se estender até a 42ª semana.

O segundo ultrassom

A segunda ultrassonografia deve ser feita, preferencialmente, entre a 11ª e a 14ª semanas de gestação. Ela é chamada de ultrassom com translucência nucal e seu principal objetivo é avaliar algumas estruturas fetais, em especial um líquido que fica na região da nuca. O volume aumentado desse líquido pode ser um indicativo de Síndrome de Down ou outras doenças cromossômicas. É importante seguir o tempo recomendado para a realização do exame porque após a 14ª semana essa estrutura já não é mais visível nas imagens de ultrassom.

Caso seja identificada alguma anormalidade, o médico vai solicitar outros exames diagnósticos.

Nesse exame, também é verificada a presença do osso nasal e o ducto venoso do bebê, ambas estruturas também são utilizadas para rastreio de malformações fetais. E também é possível ouvir seus batimentos cardíacos e conferir a idade gestacional.

O terceiro ultrassom

O terceiro ultrassom é o morfológico. Ele é feito entre a 20ª e 24ª semana da gravidez. Nessa etapa é possível enxergar o bebê com mais detalhes, permitindo avaliar se seu crescimento e aparência estão dentro dos padrões de normalidade. Serão avaliados órgãos internos e externos como estruturas cerebrais, coração, rins, pulmões, dedos dos pés e das mãos, etc.

O médico também vai medir o fêmur e a circunferência abdominal e assim, você saberá o tamanho do seu bebê nessa fase! É um exame importante para detectar malformações e também para avaliar se as artérias que levam sangue e nutrientes para o bebê através da placenta estão dentro do esperado. Além disso, é nessa hora que você pode descobrir o sexo do bebê!

O quarto ultrassom

Por fim, o quarto ultrassom é feito no final da gestação, após a 35ª semana. É nesse momento que será analisada a posição do bebê no útero: se ele está cefálico (encaixado no canal de parto), pélvico (sentado) ou córmico (de lado). Também será avaliada a localização da placenta, o volume do líquido amniótico — polidrâmnio quando há muito líquido e oligoâmnio, quando há pouco —, o tônus muscular, respiração e movimentação do bebê, etc. Todos esses dados são de extrema importância para o planejamento do parto e para prever e evitar complicações.

Tatuagens podem esconder melanomas

postado em 23 de ago de 2017 11:08 por 2f - Digital

Um estudo mostra que existe este risco e os pesquisadores afirmam que deve-se evitar fazer tatuagens sobre sinais ou marcas de nascença porque isso pode dificultar a detecção do desenvolvimento do câncer de pele.

Foi reportado por pesquisadores na Alemanha o caso de um jovem que desenvolveu um melanoma em um sinal pré-existente sob uma tatuagem, durante um tratamento de remoção da tatuagem com laser.

Dezesseis outros casos de melanomas se desenvolvendo em áreas de tatuagem foram descritos, dizem os autores do estudo. “Em geral, tatuagens não devem ser feitas sobre lesões pigmentadas; se forem, elas não devem nunca ser tratadas com laser”.



Dermatologistas nos USA dizem que tatuagens não devem esconder sinais

“Cinquenta por cento de todos os melanomas se desenvolvem em sinais pré-existentes” disse o Dr. Hooman Khorasani da Icahn School of Medicine, em Nova York. “É mais difícil vigiar sinais que estão cobertos por uma tatuagem, já que os pigmentos interferem com alguns dos métodos usados para a detecção do câncer.”

A remoção da tatuagem também pode dificultar a vigilância. “O tratamento com laser também remove o pigmento dos melanócitos e, assim, qualquer pigmentação irregular que poderia ser detectada não o será tão facilmente.”

“Se a remoção for realizada, os sinais devem ser biopsiados antes de serem tratados por qualquer tipo de laser”, diz Khorasani, que acrescenta: “Se você tem sinais por baixo de uma tatuagem, visite um dermatologista certificado a cada seis meses, ao invés de uma vez por ano”, como é recomendado para a população em geral.

Os pesquisadores alemães concordam que qualquer lesão suspeita de câncer de pele deve ser removida antes do tratamento com laser.

Fonte: Health Day – Health News

Exames regulares para a prevenção de complicações oftalmológicas

postado em 16 de ago de 2017 05:07 por 2f - Digital

Doença ocular diabética aumentou sua prevalência em 89 por cento entre 2000 e 2010 e é uma das principais causas de cegueira entre os adultos. Apesar disso, os cuidados com a visão são muitas vezes esquecidos por pessoas com diabetes, talvez pelo fato deles terem que gerenciar muitos outros problemas de saúde que a doença pode causar.


De acordo com uma pesquisa da Associação Americana de Optometria, 55 por cento das pessoas não sabe que doença ocular diabética muitas vezes não apresenta sinais ou sintomas visuais.

Além disso, 44 ​​por cento dos americanos não sabem que uma pessoa com diabetes deve fazer um exame oftalmológico completo, uma vez por ano, incluindo o exame de retina (dilatação). No entanto, estes exames são a única maneira de diagnosticar doenças oculares graves associadas com o diabetes em sua fase inicial.

Exames oftalmológicos regulares de retina são fundamentais para a detecção precoce e tratamento destas doenças oftalmológicas progressivas, que muitas vezes começam sem aviso prévio.

Quanto mais tempo uma pessoa tem diabetes, maior o risco para a doença de seu olho. Ao longo do tempo, a diabetes pode causar danos aos vasos sanguíneos da parte posterior do olho, conhecida como retinopatia diabética, o que pode conduzir a edema macular diabético (EMD).

EMD ocorre quando começa a vazar fluidos dos vasos sanguíneos danificados, causando inchaço. Embora os sintomas não estejam sempre presentes, este inchaço pode causar visão turva, visão dupla e manchas na visão, que podem aparecer como pequenos pontos pretos ou linhas “flutuantes” em toda a parte frontal do olho.

Cerca de 26 milhões de americanos têm diabetes e pode estar em risco para EMD. Mais de 560.000 americanos têm EMD. No entanto, cerca de 55 por cento não sabem que têm a doença. Afro-americanos e hispânicos com mais de 40 anos de idade também estão em maior risco de EMD.

Evitar perda da visão

• Obter um exame de vista anual da retina é a melhor maneira de ajudar a detectar mudanças na visão.

• Não espere. Faça uma consulta com um especialista em retina, logo que possível.

1-10 of 23